Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana
Portal do SINPES.
Sejam bem-vindos!
Curitiba, 20 de outubro de 2020.
 
Professoras e professores da Fesp aprovam prorrogação de acordo

No último dia 11/09 o Sindicato dos Professores de Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana – Sinpes, realizou uma Assembleia Geral Virtual com os professores e professoras da Fundação de Estudos Sociais do Paraná (Fesp). Na pauta a aprovação da prorrogação de acordo celebrado com a instituição.

Na Assembleia, o sindicato apresentou o acordo alinhavado com a Fesp para prorrogar o pagamento parcial dos salários até o final do ano já que não foi possível concretizar a venda do imóvel da Fesp em face da pandemia e da demora na liberação da venda por parte do Ministério Público.

Para minimizar os prejuízos dos professores as partes decidiram enquadrar o ajuste na Lei 14.020, que regulamenta a concessão de benefícios provisórios aos trabalhadores enquanto subsistem os efeitos da pandemia do Coronavírus, o que significará um complemento na renda aos docentes.

No mais, subsiste o mecanismo do acordo anterior. Com a venda do imóvel ou a obtenção de recursos por meio de outras fontes, o montante obtido será utilizado para pagar os valores devidos aos professores e professoras, abatidos os valores já quitados diretamente assim como aqueles auferidos em face do benefício governamental.

Segundo a visão da Diretoria do Sinpes e dos professores que compareceram à assembleia, promover desde logo a execução dos valores devidos como previa o primeiro ajuste celebrado anteciparia a inviabilização da instituição de ensino superior, ensejando eventual venda do imóvel por quantia inferior ao seu valor de mercado. Diante dessa conjuntura desfavorável reputou-se mais prudente prorrogar o acordo, dando mais esse fôlego para a empregadora.

Prossegue assim o esforço de todos os envolvidos no sentido de contribuir com o prosseguimento do funcionamento da Fesp ao mesmo tempo em que são minimizados os prejuízos trabalhistas decorrentes da crise enfrentada por essa instituição de ensino superior.