Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana
Portal do SINPES.
Sejam bem-vindos!
Curitiba, 18 de janeiro de 2022.
 
Aulas presenciais devem retornar apenas depois da imunização completa de trabalhadores do ensino superior

17/06/2021

No último dia 07/06 a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) anunciou que os professores e professoras que atuam no ensino superior enfim serão vacinados contra a Covid-19. E nesta segunda-feira (14), a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba anunciou que Professores e demais trabalhadores das instituições de ensino superior, tanto da rede pública quanto da rede privada, começam a ser vacinados nesta terça-feira (15/6).

Diante da boa notícia, o Sinpes encaminhou ofício para os Departamentos de Recursos Humanos das instituições de ensino superior privado pedindo para que elas providenciem, para que se evitem filas e atrasos desnecessários, declaração de prestação de serviços docentes com a máxima urgência para que os professores e professoras tenham a declaração necessária para serem imunizados.

O Sinpes reconhece que houve progresso no posicionamento das autoridades sanitárias estaduais e municipais sobre o tema. Todavia, mantém sua posição no sentido de que as aulas presenciais somente devem retornar depois que os docentes receberem a segunda dose da vacina e tiver decorrido o período necessário para que se atinha a de imunidade completa dos docentes.

Na rede estadual de ensino a volta precipitada às aulas tem demonstrado que o risco de contaminação é real. O retorno gradativo das atividades presenciais nas escolas de ensino fundamental e médio no Estado do Paraná iniciou no último dia 10 de maio e nas primeiras semanas cerca de 15 turmas e quatro colégios tiveram aulas suspensas por causa da covid-19.

Segundo informações da Seed, foram reportados à secretaria 38 casos positivos em alunos, 32 casos em professores e 25 em servidores não docentes. De 10 a 21 de maio cerca de 24 mil estudantes e 12 mil profissionais da educação voltaram a frequentar 200 colégios.

O risco de contaminação pela Covid-19 aumenta 192% para professores que estão em sala de aula. Sem a completa imunização e em contato com alunos diariamente, os docentes em regime presencial têm risco maior de desenvolver a doença. A conclusão é de um estudo assinado por pesquisadores de cinco instituições de ensino superior.

Nesse estudo foram analisados profissionais de 554 escolas com ensino presencial, no período de 7 de fevereiro a 6 de março de 2021. O grupo composto por estudiosos da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do ABC (UFABC), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de SP concluiu que a incidência do coronavírus foi 2,92 vezes, ou 192%, maior nesse público do que na população adulta fora das salas de aula.

Assim, frente ao risco de contaminação de cerca de 5 mil professores e professoras do ensino superior privado de Curitiba e Região Metropolitana, o Sinpes denuncia iniciativas patronais de volta às aulas presenciais sem a imunização completa (duas doses) de todos os trabalhadores do ensino superior privado e alerta que tomará as medidas cabíveis para denunciar os gestores da IES.