Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana
Portal do SINPES.
Sejam bem-vindos!
Curitiba, 13 de dezembro de 2017.
 
Tuiuti: Exemplos a Serem Seguidos
  1. GRATIFICAÇÕES PELO DESEMPENHO DOS CURSOS

Após intensa negociação com o Sinpes, ainda com o concurso do então Pró-Reitor Administrativo Carlos Eduardo Rangel Santos, o popular Neneco, falecido precocemente em março de 2017, a Universidade Tuiuti estabeleceu critérios objetivos para recompensar professores e coordenadores de cursos em face do desempenho obtido por ocasião das avaliações realizadas no âmbito do ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) e do CPC (Conceito Preliminar de Curso).

A ideia inicial de gratificar exclusivamente os coordenadores (em valores anuais que podem chegar até a 300% do salário bruto mensal para a hipótese de avaliação máxima em ambos os índices) foi, por apelo do Sinpes, estendida a todos os professores do curso bem avaliado no ENADE (70% por cento da média salarial para os docentes do curso que obtiver nota 04 e 100% por cento para aqueles que auferirem nota máxima).

Para que os professores recebam a gratificação basta que a nota do curso no ENADE seja igual ou superior a 4 e que o docente tenha sido assíduo no ano da avaliação, justificando e repondo todas as suas ausências.

Ao contrário do que acontece na PUCPR nenhuma mirabolante interferência na liberdade de cátedra é exigida para que se concretize o recebimento da vantagem.

Tampouco se promove a redução de direitos trabalhistas dos próprios professores para custear a gratificação estabelecida. Os sócios da Tuiuti dispõem-se a abrir mão de parte do seu lucro para estimular a excelência do ensino revelando visão capitalista lúcida a médio e a longo prazo ao contrário do que infelizmente se verifica na grande maioria das demais instituições de ensino superior, que revelam visão empresarial míope a curtíssimo prazo.

Eventuais relações de compadrio que tanto atrapalham os objetivos pretendidos com premiações desse jaez igualmente são eliminadas na medida em que o valor será pago a todos os professores e coordenadores dos cursos bem avaliados, sem quaisquer considerações de ordem subjetiva.

Essa conquista do corpo docente da Tuiuti bem demonstra que mesmo em tempos de crise é possível efetivamente privilegiar a excelência do ensino e distribuir condignamente os frutos do esforço do Capital e do Trabalho de forma civilizada e decente.

E coroa o esforço para sanear definitivamente um relação que já foi muito difícil entre os dirigentes da Universidade Tuiuti e o Sinpes, recomposta com boa dose de lealdade depositada por ambas as partes.

  1. FÉRIAS ESCOLARES 2017/2018:

Atendendo reivindicação histórica dos professores e dos dirigentes do Sinpes, o calendário escolar estabelecido pela Tuiuti para o ano de 2018 prevê início das aulas para o dia 19.02.2018, garantindo aos professores férias escolares condignas.

Prevaleceu o bom senso na delimitação das férias escolares do período 2017/2018, contrariando tendência histórica na UTP, sempre uma das primeiras instituições de ensino privado a dar início ao ano letivo.

A adoção de férias escolares compatíveis com a complexidade e a penosidade das atividades dos professores foi conseguida na PUCPR a duras penas, após intensa batalha judicial em rumorosa negociação em que foram transacionadas diversas ações trabalhistas.

O Dom Bosco mantém-se intransigente sobre o tema, chegando ao ponto de maquiar seus calendários escolares parta camuflar alteração contratual prejudicial aos seus professores a respeito dessa matéria.

Daí porque o Sinpes festeja a alteração promovida pelos dirigentes da UTP em favor da excelência do ensino e do corpo discente e docente no particular, pugnando pela manutenção dessa diretriz para os anos vindouros.

 

Diretoria do Sinpes.

 

Resoluções CONSU