Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana
Portal do SINPES.
Sejam bem-vindos!
Curitiba, 13 de dezembro de 2017.
 
Sinpes Luta por Salário Digno e Melhores Condições de Trabalho aos Professores

Reunido em assembleia geral no último dia 28 de outubro de 2017, o Sindicato dos Professores do Ensino Superior de Curitiba e Região Metropolitana aprovou uma pauta de reivindicações com 22 itens que foi encaminhada para discussão com o SINEPE.

Entre as principais solicitações está o REAJUSTE SALARIAL E DOS PISOS DA CATEGORIA A PARTIR DE FEVEREIRO DE 2018, mediante reposição da inflação do período compreendido entre fevereiro de 2017 e janeiro de 2018, mais percentual adicional de 10%. Além disso, os professores querem que o Sinpes pleiteie que  a categoria receba o pagamento de abono único proporcional à média do número de horas aulas lecionadas.

Outra preocupação do docentes presentes na assembleia é assegurar que os professores do Ensino Superior tenham custeio integral de plano de saúde empresarial ou, pelo menos, a adoção de plano de saúde empresarial com preços mais acessíveis do que aqueles negociados individualmente.

O estabelecimento de Plano de Previdência Privada em prol do corpo docente de cada IES e a implantação do Piso de Sobrevivência (quando há redução da carga horária do professor correspondente a 80% da carga horária do último semestre anterior a redução) também são garantias que estão sendo pleiteadas na negociação coletiva por consenso dos presentes à assembleia. A primeira reunião entre representantes do Sinpes e do SINEPE está agendada para o dia 01º de dezembro de 2017.

Para manter o sindicato em pleno funcionamento na luta pela manutenção e avanço nas condições de trabalho do professor do Ensino Superior, associados e não associados que estiveram na assembleia acharam razoável manter a contribuição em favor dos cofres da entidade no valor correspondente a um dia de salário do mês de recebimento do salário reajustado (3,33% do salário), com teto de R$ 150,00 anuais por Instituição de Ensino Superior lecionada (o que representa teto de R $ 12,50 mensais).

A nova contribuição é significativamente inferior aos valores que vinham sendo cobrados nos anos anteriores para aqueles professores com maior número de horas dedicadas ao magistério.

INTEGRALIDADE DA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES APROVADA PELA CATEGORIA